BIODIESEL COMEÇARÁ A SER PRODUZIDO NA REFINARIA DE GUAMARÉ EM ESCALA COMERCIAL

REFINARIA

O presidente da Petrobras Biocombustível, Alberto Fontes, em visita ao estado, teve audiência com o governador potiguar, Robinson Faria . Eles conversaram sobre a ampliação da atuação da companhia no Rio Grande do Norte, com destaque para a planta de biodiesel de Guamaré, que acaba de receber a licença para operar comercialmente após passar por obras para ampliação e adaptações técnicas.

Até então, a unidade era utilizada apenas como planta experimental de novas tecnologias. Com a concessão da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), publicada no DOU sexta passada (13/2), a planta potiguar triplica sua capacidade inicial, enquanto planta experimental, saltando de 7,2 milhões de litros de biodiesel ao ano para 20,1 milhões para produção comercial.

Para iniciar a plena operação em escala comercial, a usina aguardará a publicação da licença de comercialização, o que ocorrerá brevemente, capacitando a unidade a participar dos próximos leilões da ANP.

Com a ampliação, a Petrobras Biocombustível terá capacidade para cerca de 867 milhões de litros de biodiesel por ano, somando-se as capacidades produtivas das três usinas próprias da empresa, localizadas em Candeias (BA), Montes Claros (MG) e Quixadá (CE), e duas em parceria com a empresa BSBIOS, em Marialva (PR) e em Passo Fundo (RS).

Matéria-prima sustentável

O desafio é a estruturação da cadeia produtiva do biodiesel no estado de forma sustentável, contribuindo com geração de novas oportunidades de renda e contribuindo com meio ambiente. Nesse sentido, a Petrobras Biocombustível e a Liquigás Distribuidora promovem em parceria uma campanha de coleta de óleo de cozinha usado no estado do Rio Grande do Norte.

Em outra parceria, desta vez com a Universidade Federal do Rio Grande do Norte, a companhia mantém, na cidade de Extremoz (RN), a 16 km de Natal, uma planta piloto para cultivo de microalgas para produção de biodiesel. As microalgas colocam a Petrobras na vanguarda das pesquisas de renováveis na América Latina em razão de seu potencial de produção de óleo, superior aos das espécies vegetais utilizadas na produção de biodiesel, aliado à absorção de CO2 e à limpeza da água.

O projeto identificou cerca de 10 espécies de microalgas capazes de crescer em água de produção de petróleo, uma vez que serão cultivadas nesses tanques.

JD

Deixe uma resposta

Você pode usar essas tags e atributos HTML <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*