Presidente da Petrobras nega ‘desmonte’ da estatal no Rio Grande do Norte

DO JORNAL DE FATO

O presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, afirmou que a estatal não vai fechar a operação no Rio Grande do Norte. A garantia foi dada durante audiência pública na Comissão de Minas e Energia da Câmara dos Deputados sobre o porquê da empresa decidir retrair os investimentos na região Nordeste.

Ao deputado federal potiguar Benes Leocádio (Republicano), o presidente da Petrobras apresentou relatório técnico e assegurou que a empresa permanecerá na bacia potiguar. No entanto, ressaltando que a estatal está priorizando investimentos para exploração dos campos de pré-sal, sem tirar o foco de outras atividades. Castello Branco afirmou que a Petrobras está incentivando a criação de uma nova indústria petrolífera com entrada de “novos atores”, referindo-se às companhias privadas que estão adquirindo os campos terrestres maduros potiguares leiloados.

“Deputado Benes, entendemos a sua preocupação com o Rio Grande do Norte, mas acho que estão distorcendo a realidade. É questão de mercado. A natureza infelizmente prejudicou o Nordeste. E a Petrobras está priorizando o investimento nos campos de pré-sal, que apresentam maiores resultados”, disse o presidente da estatal.

Castello Branco realçou que os campos maduros serão mantidos pelas empresas que ganharam nos leilões e a Petrobras vai manter a exploração dos campos marítimos no Rio Grande do Norte. O presidente da Petrobras negou que haverá “desmonte” da companhia no Estado. “Desmonte fizeram com a Petrobras antes com a corrupção. Agora, estamos construindo uma nova Petrobras”, declarou Castello Branco.

Benes solicitou ao presidente da Petrobras atenção especial com o cenário da economia potiguar e destacou o potencial histórico do estado na produção de barris de petróleo bem como geração de energia limpa. “Entendemos a explicação técnica dos investimentos, mas ficamos mais tranquilos em obter garantias de que a Petrobras manterá as operações de exploração no mar e vai incentivar à criação de uma nova indústria formada pelos pequenos e médios produtores privados no RN. Nós vamos fiscalizar e acompanhar com atenção este tema”, destacou Benes.

Ainda quando questionado pelo deputado, o presidente da Petrobras considerou a terceirização dos poços terrestres um “fato histórico no Brasil”. “Estamos vendendo 183 campos que envelheceram. E incentivando uma nova indústria no Nordeste. Vamos concentrar esforço em outras áreas. E ainda bem que existem empresas que têm foco em campos maduros, com tecnologia e expertise. Agora vem a entrada de novos atores no apoio aos mercados locais no Rio Grande do Norte e Bahia. E a nós caberá concentrar no pré-sal”, concluiu Roberto Castello Branco.

Deixe uma resposta

Você pode usar essas tags e atributos HTML <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*