TOINHO DO AMARO É UM DOS RESPONSÁVEIS PELO SUCESSO DO PROJETO DE CULTIVO DE OSTRA EM GUAMARÉ.

toinho

Quando o projeto do SEBRAE-RN para estimular o cultivo de ostra em cativeiro estava na fase de desenvolvimento e era uma experiência piloto em Guamaré, um pescador muito conhecido nosso abraçou a ideia e se tornou um dos responsáveis pelo o sucesso do projeto em Guamaré. 

Antonio Fonseca, é conhecido por uns, por Toinho de dona Nenem e por outros, Toinho do Amaro. 

Na época seu Toinho era o responsável pala manutenção dos viveiros do projeto, retirando as novas ostras e as separando de acordo com o tamanho. 

Embora a notícia seja de Fevereiro de 2011, é só repercutida agora pelo o portal G1, não tira o brilho da dedicação e a cooperação que seu Toinho teve para que hoje o projeto seja reconhecido nacionalmente. 

Leia o trecho da reportagem de Cleonildo Mello, com fotos de Moraes Melo, extraído do portal do SEBRAE. 

MARICULTURA COMO OPÇÃO – Nesse ambiente em que a pesca artesanal contrasta com a modernidade de um parque eólico instalado na área, o pescador Antônio Fonseca, de 56 anos, olha o horizonte e vê novas perspectivas no sobe e desce das marés. Antes carregada de espécies como taínha, salema, corvina e carapeba, a janganda Fernanda foi enconstada. Ele deixou a pesca de lado e, agora, dedica-se ao cultivo de ostra. Seu Antônio é o responsável pala manutenção dos viveiros do projeto, retirando as novas ostras e as separando de acordo com o tamanho. 

Com a pesca, ele chegava a ganhar até R$ 400,00 por semana, contudo as ostras viraram um novo atrativo para o pescador. “Era uma renda que dependia do que pescava. Espero com esse trabalho ter um futuro melhor”, anima-se Antônio Fonseca.

Fonte: Blog Ponto Crítico

 

Deixe uma resposta

Você pode usar essas tags e atributos HTML <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*