Rio Grande do Norte recebeu mais 45 cubanos

Voltar para Blog

Rio Grande do Norte recebeu mais 45 cubanos

O Rio Grande do Norte recebeu, na última quinta-feira, 29 profissionais cubanos ligados ao Programa Mais Médicos. Eles fazem parte do 5º ciclo do programa. No mesmo dia, 16 médicos da mesma nacionalidade deixaram Natal e seguiram para os municípios onde vão atuar. O último grupo faz parte do 4º ciclo e passou uma semana participando da oficina de acolhimento promovida pela comissão estadual do Provab/Mais Médicos. A Sesap espera que outros médicos cheguem ainda nessa semana.

medico

Durante a semana de acolhimento, os médicos cubanos conheceram a situação epidemiológica do Estado, o funcionamento do Sistema Único de Saúde (SUS) e a realidade da população norte-rio-grandense. Foi o primeiro contato dos profissionais com a realidade potiguar. Na última quarta-feira, o grupo participou de um treinamento sobre telesaúde na Secretaria de Educação à Distância (Sedis) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

O médico cubano Charles Robinson, 29 anos, fazia parte do grupo. Ele chegou ao Brasil há um mês – antes estava em Fortaleza-CE, participando de outra etapa do programa – e vai atuar no município de Extremoz, a 16 quilômetros de Natal. Assim como os demais médicos que chegam ao RN, o cubano demonstrou-se animado com a nova rotina que o espera. “Todos do Brasil foram muito gentis conosco. Estou disposto a ajudar a população de Extremoz. Tenho amigos que já estão no Brasil e só ouço coisas boas daqui”, disse.

Brasil
Em todo o país, mais de 3.500 médicos começam suas atividades nos municípios a partir desta semana. Deste total, 253 estão alocados na região Nordeste. Eles foram aprovados no módulo de avaliação do programa, etapa obrigatória para que recebam o registro profissional provisório e iniciem o atendimento à população. Segundo o MS, o reforço desse grupo garante o cumprimento da meta estabelecida pelo governo federal de levar 13.235 médicos para a atenção básica, especialmente às regiões mais vulneráveis. Com isso, 100% das vagas apontadas pelos municípios que inicialmente aderiram ao Programa passam a ser atendidas.

“Com esse programa, estamos conseguindo prestar atendimento a uma quantidade muito maior de pessoas, com maior qualidade, tratar o povo com dignidade e com mais respeito. A grande maioria dos brasileiros que estamos atendendo nunca teve contato com uma equipe de saúde da família completa”, ressalta o Ministro da Saúde, Arthur Chioro.

Mais de 75% dos 13.235 médicos estão alocados em regiões como o semiárido nordestino, periferia de grandes centros, municípios com  Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) baixo ou muito baixo e regiões com população quilombola, entre outros critérios de vulnerabilidade. Em relação à distribuição por região, o Sudeste e o Nordeste concentram o maior número de profissionais, com 4.170 e 4.147 médicos respectivamente. O Sul conta com 2.261, seguido do Norte (1.764) e do Centro-Oeste (893). Outros 305 médicos estão atuando em distritos indígenas.

TN

Compartilhe essa publicação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

19 + 6 =

*

Voltar para Blog